05 dezembro 2013

Um justo entre os mais justos

Um imenso adeus a


Não, não é por acaso que, sabendo de todo o enorme papel de Nelson Mandela na construção de uma democracia pluriracial na África do Sul sobre a derrota do infame regime do apartheid, escolho no dia da sua morte a foto da sua libertação após 27-anos-27 de prisão, durante 25 dos quais, convém não esquecer, as potências ocidentais guardaram de Conrado  o prudente silêncio [*]. É porque ela, à escala universal, se tornou um símbolo de um momento inesquecível e de uma extraordinária vitória e mudança e encerra uma suprema lição sobre o valor da coragem, da firmeza de convicções e da determinação de um grande combatente, tudo ao serviço da causa maior de um povo longamente humilhado, reprimido e ofendido.
Nelson Mandela foi um dos mais justos entre os justos e um verdadeiro herói do nosso tempo, cujo exemplo perdurará pelos tempos fora. Os que, como eu o admiram e recebem com tristeza a notícia da sua morte, têm o direito de desejar que o perfume do dinheiro nos círculos do poder e noticiados conflitos de natureza financeira entre alguns dos seus descendentes não ofendam o seu nome, a sua memória e o seu poderoso legado progressista e humanista.

[*]: A não esquecer: por decisão e orientação de um governo de Cavaco Silva, em 1987 Portugal votou na ONU contra uma moção que condenava o apartheid. Está aqui (apenas 3 votos contra: EUA, Grã-Bretanha e Portugal.





Álvaro Cunhal e Carlos Carvalhas com Nelson Mandela


Homenagem do
Coro da Nelson Mandela
Metropolitan University por ocasião
do 94º aniversário de Mandela 



Hugh Masekela - Mandela
(Bring Him Back Home)


Mandela sobre o assassinato
em 10.4.1993
 de Chris Hani (n. 1942), secretário-geral
do Partido Comunista da África do Sul
 e Comandante do braço armado do ANC :



"Tonight I am reaching out to every single South African, black and white, from the very depths of my being. A white man, full of prejudice and hate, came to our country and committed a deed so foul that our whole nation now teeters on the brink of disaster. A white woman, of Afrikaner origin, risked her life so that we may know, and bring to justice, this assassin. The cold-blooded murder of Chris Hani has sent shock waves throughout the country and the world. ... Now is the time for all South Africans to stand together against those who, from any quarter, wish to destroy what Chris Hani gave his life for – the freedom of all of us."

5 comentários:

  1. A NÃO ESQUECER:POR DECISÃO E ORIENTAÇÃO DE UM GOVERNO DE cavaco silva,PORTUGAL VOTOU NA ONU CONTRA UMA MOÇÃO QUE RECLAMAVA A LIBERTAÇÃO DE NELSON MANDELA!

    ResponderEliminar
  2. Eu partilho o teu desejo de que "os seus descendentes não ofendam o seu nome, a sua memória e o seu poderoso legado progressista e humanista" o que, infelizmente, vai acontecendo nessa África tão maltratada.

    Um beijo.

    ResponderEliminar
  3. Na vida não existem pessoas perfeitas

    mas algumas sã incomensuráveis

    ResponderEliminar
  4. E os carrascos desse tempo tenebroso que Mandela apagou,estão aí nas primeiras páginas a chorar lágrimas de crocodilo.

    ResponderEliminar