19 setembro 2017

Um livro estrangeiro por semana ( )

El ferrocarril subterráneo
(The Underground Railroad)


Lieratura Random House, 18,90 E.

Apresentação
:Galardonada con el Premio Pulitzer 2017 y con el National Book Award,El ferrocarril subterráneoha sido el acontecimiento literario del año en Estados Unidos.
Colson Whitehead es uno de los pocos escritores que ha conseguido ambos premios por el mismo libro. ConEl ferrocarril subterráneoentra a formar parte del grupo de grandes nombres como Faulkner, Proulx, Updike y A. Walker.
Una renovada visión de la esclavitud donde se mezclan leyenda y realidad y que oculta una historia universal: la de la lucha por escapar al propio destino
Cora es una joven esclava de una plantación de algodón en Georgia. Abandonada por su madre, vive sometida a la crueldad de sus amos. Cuando César, un joven de Virginia, le habla del ferrocarril subterráneo, ambos deciden iniciar una arriesgada huida hacia el Norte para conseguir la libertad.
El ferrocarril subterráneoconvierte en realidad una fábula de la época e imagina una verdadera red de estaciones clandestinas unidas por raíles subterráneos que cruzan el país. En su huida, Cora recorrerá los diferentes estados, y en cada parada se encontrará un mundo completamente diferente, mientras acumula decepciones en el transcurso de una baja...»

P.S.: este tema do «underground railroad», em termos musicais foi objecto de dois programas «A Idade dos Mídia » de Ruben de Caralho na Antena Um mas, de momento, não consegui encontrar os links.

 

Lei do Trabalho em França

A velha diferença entre
opinião e disposição de luta



 clicar para ler melhor

aqui

18 setembro 2017

Demagogia e cinismo

Com grande facilidade,
descobrimos quando
Cristas não se ralava com
o aumento da dívida


Desculpem muito, é em inglês





«Le operazioni di controspionaggio come parte della moderna condotta bellica sono funzionali alla sicurezza nazionale. Tuttavia, queste operazioni spesso prendono di mira civili e per questo possono originare accuse le cui conseguenze sulle vite delle persone possono essere devastanti. Lo scopo di questo articolo è quello di descrivere il meccanismo del maccartismo seguendo il caso delle persecuzioni di Charles Chaplin e Lucille Ball. I loro casi mostrano in modo adeguato le tattiche controverse e i metodi del maccartismo nell’America post-bellica. Per esplorare le reti utilizzate dalle autorità e dagli attori delle operazioni anticomuniste, questo contributo sfrutta le fonti archivistiche dei casi Chaplin e Ball che assommano ad oltre duemila pagine di documenti dell’MI5 e dell’FBI. Questa dettagliata documentazione offre un punto di vista sull’impatto che le accuse di spionaggio avevano sulle vite dei civili e offre un buon esempio sulle operazioni di intelligence nell’America post-bellica.»

Só uma pergunta fria mas inquieta

Onde é que isto vai parar ?

 DN de hoje

17 setembro 2017

Fim de domingo com o saxofonista

Jimmy Carpenter




Uma revista estrangeira por semana (1)

Cahiers d'Histoire

Os principais artigos deste número
estão disponí
veis aqui

Mesmo considerando isso, não creio ser assim

Se ele está a pensar na força
dos «constrangimentos», então
trago aqui um insuspeito
testemunho de 1987


«Estes pretensos constrangimentos internacionais fomos nós [*]mesmos que os quisemos, fomos nós mesmos que os edificámos e somos nós mesmos que, dia após dia, nos empenhamos em desenvolvê-los, Nós não temos mais liberdade de acção porque não quisemos mais ter liberdadde de acção »

Leonel Stoleru, economista, colaborador e apoiante do Presidente Giscard D'Estaing, no seu livro de 1987 «L'Ambition Internationale».

[*]: Estes «nós» aplicam-se evidentemente às correntes políticas que apoiaram e aprovaram os «constrangimentos» e não  às que os denunciaram e combateram.

15 setembro 2017

Para ilustração de F. Louçã

A Autoeuropa
nos seus primórdios


Seguindo a pista deixada por um interessante artigo de Pedro Tadeu no «DN», leiamos o testemunho de António Damasceno Correia (diz a sua biografia :  « trabalhou onze anos como gestor e Diretor de Recursos Humanos em três multinacionais» - uma delas a vW  ») aqui numa «Análise Social» de 2000, sobre a selecção de pessoal nos primórdios da Autoeuropa:


 (clicar para ler melhor)

14 setembro 2017

16 anos depois

Miguel Sousa Tavares
continua desatinando


Por uma crónica de vasco Cardoso no último «Avante!» fiquei a perceber que, no último «Expresso» (jornal que não compro), Miguel Sousa Tavares se atira pela  542º vez como gato a bofe ao PCP.
A este respeito, e só para lembrar que tudo isto é velho mas também por causa das partes sublinhadas, achei que podia ter alguma interesse facultar aos leitores a crónica que escrevi no defunto «Semanário» em 19.01.2001. (por favor, leitura vertical das colunas)

clicar para ler melhor

Isto é que era diplomacia !!!

Ainda Juncker e a geografia








Como elas se fazem !

Não vi nenhum título
nem imagem assim aquando das recentes manobras da NATO nas fronteiras com a Rússia, incluindo
com a presença de tanques alemães


 Público

14 de Setembro de 1867





José Barata-Moura - A filosofia no/do Capital from Grupo de Estudos Marxistas on Vimeo.

13 setembro 2017

Fim de dia com

Lizz Wright




Até aos Urais, homem !

Sai um mapa para o sr. Juncker

 


a azul a ignorância palerma do sr. Juncker
confundindo União Europeia com Europa e ignorante
em 
longitudes; a vermelho a Europa, do Atlântico 

 (Cabo da Roca) aos Urais,
como dantes se aprendia na escola.

Também se podia dizer que,
de acordo com Juncker,
metade de Portugal já não
está na Europa :





Contra a nova Lei do Trabalho e...

... «pour la suite»




 em «L'Humanité»

galeria de fotos
aqui no «Libération»

12 setembro 2017

Fim de dia

Voltando sempre
a Mavis Staple


O que anda a fazer o Sind. Enf. Portugueses

O que muitos não sabem
porque os «media» não contam

«Esta reivindicação integrou os objetivos dos Pré-Avisos de Greve:15, 16, 17, 18 e 22 outubro e 8 de novembro de2013; 14 e 21 de novembro de 2014;13 março e 4 e 5 de junho de 2015; 13 e 14 de  outubro de 2016.Em 2015 o SEP interveio junto do Provedor de Justiça (www.sep.org.pt). Integrou todos os Cadernos Reivindicativos anuais apresentados aos Governos. É no desenvolvimento deste percurso reivindicativo e de luta que o Ministério daSaúde assume o compromisso a 22 de março de 2017.Sobre o modelo concretizador da justa diferenciação remuneratória para TODOS os Enfermeiros Especialistas consultar www.sep.org.pt. »


Significativo por demais

Macron tem maioria absoluta
no Parlamento mas não quer
discutir lá a Lei do Trabalho







Quem tiver acesso, pode ler aqui o artigo de
Manuel Carvalho da Silva no «Público» de hoje

11 setembro 2017

11 de Setembro (*) de 1973 no Chile

Simplesmente, ouvindo
de novo Allende e relendo
de novo Neruda e Luís Sepúlveda

 
Pablo Neruda
Eu não me calo.
Eu preconizo um amor inexorável.
E não me importa pessoa nem cão:
Só o povo me é considerável,
Só a pátria é minha condição.
Povo e pátria manejam meu cuidado,
Pátria e povo destinam meus deveres
E se logram matar o revoltado
Pelo povo, é minha Pátria quem morre.
É esse meu temor e minha agonia.
Por isso no combate ninguém espere
Que se quede sem voz minha poesia.

Memorial dos Anos Felizes
(2003)



aqui

(*) É claro que também houve outro 11 de Setembro em Nova Iorque e seja também claro que não esquecemos a dor do poo americano e das famílias das vítimas.

O «El Mercurio», jornal que instigou o golpe, omite hoje em 1ª página qualquer referência a esta efeméride mas, em contrapartida, prossegue os combates que actualmente lhe são possí
veis.


 

09 setembro 2017

Salvo erro ou omissão

Destas inaugurações
não gostam as televisões



Hoje à tarde em Peniche: com a presença de centenas de democratas, inaugurado memorial aos presos políticos. Uma grande jornada marcada pelo respeito da memória, por emoções fortes e firmes convicções democráticas.
Ex-presos em Peniche fotografados junto ao memorial. Ao centro, de bengala e boné na mão, alguém que eu não ia há muitas décadas: Firmino Martins, meu companheiro de luta na CDE de Lisboa e o corajoso e destemido ferroviário que, numa greve na CP antes do 25 de Abril, se deitou na linha para impedir a saída de um comboio.

Porque hoje é sábado ( )

The National




A sugestão musical deste sábado vai para
duas canções do novo álbum -
Sleep Well Beast - dos The National


08 setembro 2017

voltando a uma velha e fracassada pedagogia

Cuidado com a parvoíce
das décimas em sondagens

 

Espero não morrer sem ver um dia um órgão de comunicação social,  tendo em conta mudanças de décimas, vir dizer ao estimado público: «prezados leitores, ouvintes ou telespectadores, hoje não há sondagem para ninguém porque está tudo na mesma».
É mesmo o caso da sondagem do «Expresso» que «a subir» só dá «o PSD, não lembrando que 28,7% seria um dos piores resultados do PSD em 42 anos de eleições !.

É que mudanças de décimas não significam rigorosamente nada. Para o compreender, basta er que a sondagem tem uma margem de erro de 3% o que, neste caso, corresponde à opinião de 24 pessoas (considerando que só 801 escolheram algum partido). E, assim sendo, o que as décimas referidas pelo «Expresso» significam é que uma variação de + 0,6% no PSD significaria hipotéticamente a mudança de opinião de  4,8 pessoas (a uma fica a cabeça de fora), a «queda» da CDU  de 0,3% significaria a mudança de opinião de 2,4 pessoas e a queda do CDS  de 0,1% significaria a mudança de opinião de 8 partes em 10 de uma pessoa.

E pronto, amigos, para o ano
volto a escrever o mesmo.


07 setembro 2017

Os Bolsonaros do Brasil

Quem sai aos seus,
não degenera


Eduardo também tenta justificar, no documento, crimes de tortura praticados durante a ditadura. “Não cabe defesa à tortura, mas esta, se ocorreu, não precedeu ao terrorismo. O contrário é verdadeiro. O Estado brasileiro teve de usar seus recursos para fazer frente a grupos que não admitiam a ordem vigente e, sob esse argumento, implementaram o terror no País. Os militares, em especial, e os demais agentes públicos cumpriram sua missão tendo seus eventuais excessos apurados e punidos como de praxe se faz na caserna.”

O «Estadão» não o refere e «o tempo das cerejas» não conseguiu apurar se o projecto de lei de Bolsonaro Filho refere o que aconteceu no Brasil nos dias 31 de Março e 1 de Abril de 1964.