16 setembro 2021

Coisas de estarolas

 João Miguel Tavares
ou para grunhos grunho e meio

No «Público» de hoje, João Miguel Tavares. ou seja o engraçadinho a quem o jornal oferece a sua última página três vezes por semana, comentando a campanha de cartazes do PSD no Seixal vem sentenciar que a mesma «é muito divertida e eficaz».  Bem vistas as coisas, tudo normal. Afinal, como podia um anticomunista militante não se babar com as piadas anticomunistas de um PSD Seixal que nada tem a dizer sobre propostas sérias para aquele concelho ?

10 setembro 2021

Na morte de Jorge Sampaio

 Morreu 
«um dos nossos»

Recebo com assumida tristeza a notícia da morte de Jorge Sampaio, destacado protagonista da Crise Académica de 1962, advogado de presos políticos, corajoso resistente antifascista, secretário de Estado em governos provisórios, secretário-geral do PS, Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, digno Presidente da República em dois mandatos, em tudo se mostrando um cidadão empenhado na defesa de valores humanistas e democráticos. E, como comunista, sem prejuizo de desencontros, sinto-me no direito de lembrar o seu empenho no diálogo das forças democráticas e que foi consciente aliado dos comunistas na crise académica de 1962, na intervenção democrática na farsa eleitoral de 1969, na coligação  «Por Lisboa». E que foi com a sua chegada a secretário-geral do PS que este partido restabeleceu relações formais com o PCP. No dia de hoje, numerosos democratas de diversos quadrantes sentirão que «morreu um dos nossos». E essa é uma das muitas homenagens que Jorge Sampaio merece.

04 setembro 2021

Está-lhe na massa do sangue

 Marcelo de regresso
 ao seu jornalismo de "cenários"

Por declarações de Marcelo feitas hoje sábado ficamos a saber que a manchete do «Expresso» não era uma invenção da jornalista Ângela Silva. Decididamente o Presidente está cheio de saudades do tempo em que no «Expresso» debitava semanalmente uma série de «cenários». Está-lhe na massa do sangue, e por isso lá perpetrou mais um «facto político», não há nada a fazer.


Tudo à mostra

 Isto é que vai
para aí uma senhora fome



03 setembro 2021

02 setembro 2021

01 setembro 2021

Olha a grande isenção !

 Quando o «DN» se
transforma em arma d
e
 agressão contra a CDU em Setúbal

Com a campanha autárquica já na prática no terreno, o DN dedica hoje  a manchete e quatro-páginas-quatro a espalhar a ideia de uma derrota eminente da CDU em Setúbal e a acusá-la também em primeira página de uma imaginária «repressão». Mas a excelente obra da CDU em Setúbal fala por si e estou certo que os eleitores compreenderão que é a CDU que pode garantir a sua continuação.

31 agosto 2021

Um belo livro

 «Vozes ao alto» é lançado
sexta à noite na Festa do Avante!

Este belo livro é da autoria de Cristina Nogueira, Vanessa Almeida, Isabel Nogueira, Maria Alice Samara, Adriano Miranda, Egídio Santos e Paulo Pimenta.  

Um estudo de Eugénio Rosa

 Sobre uma campanha contra a Administração Pública

«Na semana passada registou-se um estranho e articulado ataque aos trabalhadores da Função Pública e, consequentemente, à Administração Pública, pois esta não existe sem aqueles. O argumento utilizado era de que o seu número nunca foi tão elevado. As “caixas” dos órgãos de informação multiplicaram-se criando-se, desta forma, a ideia na opinião pública de que havia funcionários públicos a mais no nosso país. Na SIC Noticias afirmava-se que o “Numero de funcionários públicos em Portugal muito próximo de ser o mais alto de sempre”; no EXPRESSO que o “Número de funcionários públicos perto do nível mais alto de sempre”; na VISÃO “O número de funcionários públicos está a aumentar desde a saída da troika e está hoje do valor mais elevado desde que existem dados”; no Diário de Notícias “Criação impressionante de emprego assenta em subida recorde de funcionários públicos; etc., etc. Os títulos das notícias (“caixas”) são coincidentes ou muito semelhantes que até parece que saíram da mesma “Central de informação”. E um jornal, num artigo de opinião da sua responsável, chegou mesmo a divulgar que, em 2019, “o ganho médio dos técnicos superiores do Estado ascendia a 3.521€, enquanto do setor privado não ia além dos 2.452€”, o que é falso em relação ao do Estado, como se vai mostrar neste estudo. Deixar passar isto sem uma resposta era alimentar esta campanha contra a Administração Pública pois, como diz o ditado, “quem cala consente”. »

estudo aqui

30 agosto 2021

Falam os interesses instalados

 A preocupação de Carvalho


O director do «Público» mostra a sua preocupação com os sinais de sedução enviados por António Costa ao PCP e ao Bloco. A mim preocupa-me mais que sejam tão curtos.

Nada é por acaso

 O azar dos Távoras

(Público)

27 agosto 2021

Gabinete de crise da Ordem

Independência

«A controvérsia estalou nas redes sociais devido aos montantes que o pneumologista Filipe Froes — consultor da Direção-Geral da Saúde (DGS), coordenador do gabinete de crise da Ordem dos Médicos (OM) e membro do Conselho Nacional de Saúde Pública — recebeu desta indústria nos últimos oito anos. Froes tem comentado a pandemia de covid-19 nas televisões e nos jornais.» (Expresso)

15 agosto 2021

A derrota 2 triliões de dólares depois

 De facto, para isso
 não tinham vocação

«O presidente dos EUA salientou que a "missão no Afeganistão nunca foi pensada para ser a construção de uma nação, nunca foi destinada a criar uma democracia central e unificada".»

Jazz para o seu domingo

 Paulo Santo



Tomas Cabado



Denis Krupin

12 agosto 2021

Cerrar fileiras pois claro !

 Definitivamente.

clicar para ler melhor

O costume

 A parte mais fraca
do mercado de trabalho

Para além dos sectores, é também particularmente evidente, nos dados disponibilizados pelo INE, o tipo de trabalhadores que mais saíram a perder durante a crise e que ainda não concretizaram uma retoma. Por tipo de contrato de trabalho, existem agora mais 158,7 mil empregos por conta de outrem com contrato sem termo, enquanto há menos 131 mil contratos com termo. 

Uma interpretação benigna deste resultado seria a de que se está agora a apostar em vínculos laborais menos precários em Portugal, mas a explicação para estes resultados está essencialmente no facto de, no início da crise, a perda de empregos ter atingido os contratos com termo, passando quase ao lado daqueles que tinham um vínculo mais sólido. Medidas como o layoff simplificado serviram especialmente para proteger este último grupo, enquanto os trabalhadores mais precários foram as vítimas naturais da tentativa das empresas de reduzir custos num cenário de crise. «Público»

06 agosto 2021

Ele há cada uma

 Uma efeméride
 bem chocha

No Expresso, claro !
Que o Expresso e a SIC celebrem os 40 anos da formação do governo Balsemão é coisa que se compreendia pois patrão é patrão. Agora que o primeiro-ministro e secretário-geral do PS promova  uma tal comemoração já é coisa bastante estranha. Ou talvez não. Por maioria de razão, ainda vamos ver António Costa a promover em 2023 uma cerimónia de comemoração dos 40 anos do governo do bloco central  PS+PSD.

03 agosto 2021

Haja memória !

 Carlos Moedas: 
revolução não há
 mas sobra demagogia

Encontro na cidade de Lisboa um outdor de Carlos Moedas propondo «transportes gratuitos para idosos e jovens». E porque a memória curta só facilita a vida aos demagogos, apresso-me a lembrar que PSD e CDS foram contra o alargamento da área e a redução do preço dos passes  sociais que foi aprovada anteriormente, designadamente com o falso argumento de que só beneficiava os cidadãos das áreas metropolitanas de Lisboa e Porto.


O que os leitores acabaram de ler está na primeira página do site de Carlos Moedas. Pasme-se: a direita que uma vez quis assinalar o 25 de Abril sob o lema da «Evolução» quer agora uma «revolução» em Lisboa. Desde já aviso que no dia 26 de Setembro não posso participar porque já tenho outro compromisso.

31 julho 2021

Porque hoje é sábado ( )

 Los Lobos

Como elas se fazem

 Uma combinação para
 sacar mais ao Estado



"A atuação coletiva destas empresas ter-lhes-á permitido aumentar o seu poder negocial face à ADSE e ao IASFA, levando à fixação de preços e de condições comerciais potencialmente mais favoráveis para as empresas de saúde visadas do que as que resultariam de negociações individuais no âmbito do funcionamento normal da concorrência no mercado", sublinha a autoridade.

O objetivo da estratégia era "a fixação do nível dos preços e outras condições comerciais, no âmbito das negociações com a ADSE, bem como a coordenação da suspensão e/ou ameaça de denúncia das convenções, por parte das já referidas empresas, no âmbito das negociações com a ADSE e o IASFA". (Jornal «i»)

30 julho 2021

1938-2021

Na morte de Olga Prats

«1. É impossível encontrar dados biográficos desta cidadã com referência à sua colaboração na luta antifascista – apenas a sua participação ao lado de Lopes Graça em concertos, obviamente sob o olhar censor e perseguidor da PIDE. E, no entanto, sabe-se da sua colaboração com a Oposição Democrática, nomeadamente com o PCP, cedendo a sua residência para reuniões clandestinas, na década de 60. Nunca aparecia. Na sala ao lado, ensaiava ao piano. Olga Prats sabia que o risco que corria era idêntico ao dos militantes ali reunidos.» (Helena Pato no Facebook)

25 julho 2021

Na morte de Otelo Saraiva de Carvalho

 Todos perdemos
 alguma coisa


Nada mas nada apaga esse facto maior de que, sem a sua energia e determinação em derrubar a ditadura, provavelmente não teria havido o dia 25 de Abril tal como o conhecemos. Mais do que tudo o mais que se lhe seguiu, é isso que importa lembrar agora que ele partiu fazendo-nos lembrar que o tempo é implacável.

Jazz para o seu domingo

 Sarah Wilson


Scott Reeves

21 julho 2021

Hoje

 Uma bonita e justa
homenagem ao Rúben de Carvalho

Uma cerimónia realizada no Museu do Fado assinalou hoje o facto de o auditório daquele museu passar a chamar-se Auditório Rúben de Carvalho. A decisão foi tomada pela Câmara Municipal de Lisboa, na sequência de uma proposta apresentada pelo vereador João Ferreira. Na cerimónia usaram da palavra Salma Castelo Branco, Jerónimo de Sousa, Fernando Medina e o primeiro-ministro António Costa. Dois anos após o seu desaparecimento, grandes são as saudades do Rúben de Carvalho.

Espantoso

 A melhor do dia:
líder parlamentar do PSD
diz que PSD foi
«fundador do SNS»

O debate parlamentar sobre o Estado da Nação ainda vai no adro mas esta afirmação peremptória de Adão e Silva, líder parlamentar do PSD, bem merece ficar a marcar o dia. O assunto está longe de ser novo mas merec ser registada tamanha desfaçatez e concluir que quem mente assim numa matéria destas mentirá sobre qualquer coisa.

18 julho 2021

Jazz para o seu domingo

 Thumbscrew


16 julho 2021

Coisas do PS e coisas do PCP

A teimosia no erro

Nem tudo o que não é declarado inconstitucional é bom. É o caso do período experimental de 180 dias ! 

«Na proposta que passou para a discussão na especialidade, os comunistas querem: limitar a contratação a prazo, deixando de ser possível quando há acréscimo excepcional da actividade da empresa; revogar os contratos especiais de muito curta duração; propõem que a duração máxima do contrato a termo incerto seja de três anos (quando a lei em vigor prevê quatro); e reduzem de três para duas as renovações dos contratos a termo certo (ou a prazo).

A proposta do PCP aumenta ainda o período em que o empregador não pode “proceder a novas admissões através de contrato a termo ou temporário, para as mesmas funções desempenhadas, quando o contrato cessou por motivo não imputável ao trabalhador”. E pretende ainda reforçar o mecanismo de presunção de contrato de trabalho.» («Público»)

12 julho 2021

É demais !

 Marcelo sempre a
 reescrever a sua história

O «Público» publicou há dias uma entrevista de Maria João Avilez a Marcelo Rebelo de Sousa exclusivamente centrada sobre António Guterres. Nessa entrevista Marcelo fala de um grupo de «católicos sociais», formado logo no início dos anos 70 (que incluia além do próprio Guterres, Amaro da Costa e outros») e de quem Marcelo diz que queriam a democracia e até a descolonização, situando-se num quadro de oposição ao regime.

Infelizmente a entrevistadora, que não estava ali para estragar a festa da reescrita da história, não confrontou Marcelo com a sua carta datada de Abril de 1973 a Marcelo Caetano condenando o Congresso da Oposição Democrática realizado uns dias antes em Aveiro e aplaudindo a comunicação televisiva de Caetano sobre aquele Congresso.

Tudo visto, tanta desfaçatez não fica bem a alguém que é Presidente da República.

10 julho 2021

Porque hoje é sábado ( )

 The Goon Sax

A ver vamos


 Quem sabe, talvez
contra-revolução


As noticias sobre o projecto de revisão constitucional que o PSD tenciona apresentar depois das autárquicas dizem-nos o suficiente sobre desastradas alterações: é o caso da passagem do mandato dos deputados de quatro para cinco anos, a passagem do mandato presidencial para 6 anos (mantendo a renovação por uma vez) e a diminuição do número de deputados para entre 180 e 215, o que, como aconteceu quando baixaram de 250 para 230, prejudicaria sobretudo os pequenos partidos. Infelizmente as notícias não nos explicam o que pretende o PS fazer em relação a números artigos da Constituição que têm um carácter programático e são a marca de água da revolução de Abril na Constituição. Se for por aí, então podemos ter a certeza que o projecto do PSD mais do que reforma ou revolução será de contra-revolução na Constituição.

06 julho 2021

É muito dinheiro !

 Temos aqui
 um problema

JN
Nada mau : os estrangeiros pagam apenas 10% de IRS e têm acesso a todos os mesmos serviços públicos que os portugueses.

01 julho 2021

Criterios

 O destaque devia ter
 ido era para as propostas
 que o PS voltou a chumbar


O verdadeiro saldo das votações ocorridas na AR sobre matéria laboral não é este que o «Público» nos oferece. Na verdade, os votos contra do PS (aliado à direita) sobre dias de férias, indemnizações por despedimento etc., o que voltam tristemente a confirmar é que  para o PS a legislação laboral imposta pela troika era boa e é para manter. Nada que o honre.

28 junho 2021

Não é hora para elevar a fasquia


 Segundo Marcelo, a tarefa
 agora é ganhar o Mundial

Tudo visto, em voluntarismo ninguém ganha ao Presidente.

25 junho 2021

Se é assim...

 Explicações
urgentes precisam-se



«Os principais endereços do Sistema Nacio­nal de Saúde (SNS) têm disponibilizado dados dos cidadãos para exploração comercial da Google e de outras marcas ligadas à publicidade. Além de dados de tráfego, como os que são recolhidos pelo serviço Google Analytics, os endereços SNS24.pt e SNS.gov.pt recolhem dados para campanhas publicitárias através do serviço Doubleclick. O Expresso usou algumas ferramentas de monitorização de tráfego que permitiram apurar que a recolha de dados também contempla áreas que o SNS.gov.pt disponibiliza para utentes, agendamento de vacinas covid-19 e solicitação de medicamentos para o VIH. No SNS24.pt o panorama é semelhante — e a recolha de informação só cessa se o utilizador a impedir. Por outro lado, o SNS24.pt e o SNS.gov.pt envolvem os dados mais “sensíveis”, mas não são únicos. Segundo algumas ferramentas especializadas, os sites da Assembleia da República, SIRP, GNR e PSP, Ivaucher.pt e Autenticação.gov.pt também permitem exploração comercial de dados de navegação dos cidadãos.» («Expresso»)

23 junho 2021

Um traste do piorio

 Este irlandês
da Ryanair é fresco

«Através de uma apresentação PowerPoint com uma fotografia do ministro Pedro Nuno Santos, com uma animação que fazia o seu nariz crescer à medida que eram descritas e refutadas as suas acusações à Ryanair, O'Leary negou a acusação de que a companhia irlandesa promove guerra comercial, dizendo que apenas cresceu "sem ajudas do Gverno de 3.000 milhões de euros".» (JN)

Sãp pessoas mais do que números

 A pandemia de
 que se fala pouco


DN

Há medicamentos para isto

 Problemas
de memória



21 junho 2021

E Rui Rio como fica no meio disto ?

 Que família tão unida !

“Não aceitamos, pois, lições de moral de quem, faltando à palavra dada, ainda se arroga, qual virgem ofendida, em paladino da moral e dos bons costumes”, atirou o deputado do PSD [Cancela de Moura], que viu António Oliveira barrar o seu nome para número dois da lista para a Câmara de Vila Nova de Gaia. “Para quem acusa os partidos de lhe imporem o pior da mercearia política, convenhamos que o principiante António Oliveira bateu toda a gente aos pontos”, disse.» («Público» online)

18 junho 2021

Bonito serviço


 


180 desde 2013. Aterrador: durante todo este tempo na chaharica que trata destas coisas na CML não houve uma alma que tivesse um sobressalto de consciência e cultura democráticas que berrasse alto e bom som : «Isto não se pode fazer !».

17 junho 2021

Passos Coelho ou

 N

Não ter pingo
 de vergonha na cara

Depois do brutal desinvestimento no SNS feito pelo governo Passos+Portas mandaria o mais elementar sentido de decência que Passos Coelho nunca mais abrisse a boca sobre o SNS. Ele deve apostar na falta de memória colectiva mas palpita-me que se vai enganar.

Voltou à sua tese de doutoramento

 Um ex-ministro
 atrevido e cheio de si
ECO online

Ao defender a «estabilidade» da legislação laboral, o que o senhor ex-ministro agora governador do Banco de Portugal nos vem dizer é que nem pensar em revogar as normas mais gravosas do Código de Trabalho imposto pelo governo PSD+CDS no tempo da troika. Coisa que só pode surpreender os que se tiverem esquecido que a sua tese de doutoramente foi sobre matéria de trabalho e era um susto e um pesadelo. 

15 junho 2021

Em breve à venda

Um livro que
 estava a fazer falta


Edição da União de Resistentes
Antifascistas

Indice
 

pontos de venda a divulgar em breve

13 junho 2021

Jazz para o seu domingo

 Justking Jones




Anabelle Chvostek

Exército da Colombia

 A verdade tantos anos
negada acaba por chegar

O antigo Presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, admitiu, na sexta-feira, que milhares de civis foram mortos pelos soldados, pressionados para obter resultados na luta contra os ex-guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC).

As vítimas, sobretudo jovens com baixos rendimentos, foram recrutados por militares do exército sob falsas ofertas de emprego e, posteriormente, mortos noutras regiões e apresentados como antigos guerrilheiros.

Os soldados pretendiam apresentar resultados aos respetivos superiores e assim receber prémios, licenças e outros benefícios.

"Não tenho a menor dúvida que o pecado original, que permitiu essas atrocidades, foi a pressão para encontrá-los", bem como as recompensas, afirmou Juan Manuel Santos, numa audição voluntária na Comissão da Verdade da Colômbia, pedindo perdão às famílias das vítimas.

Santos foi ministro da Defesa do Presidente Álvaro Uribe (2002-2010), num mandato que ficou marcado pela execução de milhares de civis, que foram apresentados como guerrilheiros mortos no exercício das operações.

Entre 2002 e 2008, pelo menos, 6402 civis morreram às mãos de militares, segundo dados da Jurisdição Especial de Paz (JEP), que julga os crimes mais graves do conflito contra as Farc.

12 junho 2021

Já vale tudo ?

 Habilidades
 do «Expresso»


João Ramos de Almeida, no «ladrões de bicicletas» explica detalhadamente aqui que a expressão «líder político autoritário» nunca entrou nas perguntas aos inquiridos.

Descriminalização do consumo de drogas

 Repor a verdade

António Filipe no Facebook :

« Esta semana a AR debateu projetos de lei do BE e da IL no sentido da legalização do consumo recreativo da cannabis. Os defensores destas propostas reivindicam para si a paternidade da "lei da droga" aprovada há cerca de 20 anos e que tem sido apontada como um bom exemplo em quase todo o mundo. Sucede que isso não corresponde à verdade.

Na verdade, em 21 de junho de 2000, a AR debateu 5 projetos: 113/XIII do BE sobre a separação de mercados de estupefacientes; 120/VIII, do PCP, de despenalização do consumo de drogas; 119/VIII do PCP, estabelecendo o regime de mera ordenação social aplicável ao consumo de drogas; 210/VIII da JSD, sobre “drogas e combate às toxicodependências”; Proposta de Lei n.º 31/VIII do Governo PS que definia o regime jurídico aplicável ao consumo de estupefacientes.
No dia 6 de julho desse ano, nas votações realizadas, os projetos do BE e da JSD foram rejeitados, tendo sido aprovados os projetos do PCP e a proposta do Governo.
O texto final foi aprovado com os votos favoráveis do PS, do PCP, do BE e do PEV e os votos contra do PSD e do CDS.
Portanto, a boa lei da droga de há 20 anos não foi da iniciativa dos que hoje propõem a legalização da cannabis. Resulta da conjugação de propostas do PS e do PCP. Esta é a verdade, o resto é a "pós-verdade" que alguém "vendeu" à comunicação social e que esta tem vindo a consumir sem moderação desde há 20 anos.»

Porque hoje é sábado ( )

Jesse Markin

11 junho 2021

Sobre o direito de manifestação

 Ignorantes
e carregados de ódio

Vi e ouvi ontem no «Eixo do Mal» da SIC Notícias Clara Ferreira Alves a referir, em tom hostil e rancoroso, que a lei do direito de manifestação «era do tempo de Vasco Gonçalves».

Por isso, contra a ignorância cavalar, importa esclarecerque o Decreto Lei nº 406/74:

- já foi revisto em 2011 e nele não há mais pequena protecção de envio de dados pessoais para embaixadas pelo que é ridícula a afirmação de José Luís Carneiro, secretário-geral adjunto do PS, de que o problema estaria na desactualização da lei;

- que tem a assinatura de Vasco Gonçalves mas também a de Francisco Salgado Zenha então ministro da Justiça;

- que constituiu um importante passo na democratização da vida nacional sendo de salientar que, muito antes da aprovação da Constituição, já estabelecia que as manifestações não careciam de autorização prévia.