29 maio 2016

Ora aí está !



... e, já agora, contra a infame manipulação de crianças e jovens

(grafismos e palavras da minha responsabilidade)

Escola Pública marca
presença na rua em 18 de junho

 A Escola Pública é promotora de igualdade de oportunidades, daí a Constituição da República Portuguesa atribuir ao Estado o dever de promover uma rede de estabelecimentos públicos que satisfaça as necessidades de toda a população.
Apesar das limitações impostas por motivos de vária ordem, no essencial, a Escola Pública tem cumprido a sua missão reconhecendo-se nela uma resposta de qualidade e para todos, fruto do esforço dos seus profissionais, de pais e encarregados de educação, de autarcas e de todos os que acreditam ser a Escola Pública motor de progresso e de construção de um futuro mais democrático e solidário.
Num momento tão importante como o que vivemos na Educação, torna-se ainda mais importante afirmar a Escola Pública e, simultaneamente, rejeitar a ideia de que público e privado poderão ser uma e a mesma coisa. No respeito por todas as respostas educativas, públicas e privadas têm natureza diferente e como tal deverão ser respeitadas. Quanto a financiamento, ao Estado compete garantir o que seja adequado à Escola Pública, contratualizando com privados apenas nos casos em que há insuficiência de resposta pública.
É neste quadro de afirmação de uma Escola Pública de qualidade e democrática que no próximo dia 18 de Junho, um sábado, em Lisboa, a Escola Pública sai à rua. Cidadãos e cidadãs promotores de uma Petição que já reúne dezenas de milhar de assinaturas, organizações e entidades diversas da sociedade portuguesa promovem a iniciativa cujos contornos serão oportunamente divulgadosA concentração de quantos pretendem assumir publicamente a defesa da Escola Pública terá lugar no Parque Eduardo VII, a partir das 14.30 horas do já referido dia 18 de junho.
Recorda-se que:
1 de Junho, a partir das 17.30 horas: recolha de assinaturas para a Petição junto à Feira do Livro de Lisboa;
3 de Junho, a partir das 16.30 horas: Tribuna Pública em Lisboa (Largo de Camões).
Os promotores

PRIMEIROS SUBSCRITORES da petição lançada pela FENPROF:
Adelino Pinto (Diretor da Escola Sec. Alves Martins, Viseu); Albino Almeida (Presidente da AM de Gaia e expresidente da CONFAP); Almerindo Janela Afonso (Docente e Investigador da Universidade do Minho); Álvaro Almeida Santos (Diretor da Escola Sec. de Valadares);Amândio Azevedo (Diretor do AE de Idães, Felgueiras); Ana Avoila (Coord. da Federação da Função Pública); Ana Benavente (Docente e Investigadora); Ana Mafalda Pernão (Diretora da Escola de Música do Conservatório Nacional),Ana Sesudo (Presidente da Associação Portuguesa de Deficientes),Aníbal José Mendes (Diretor do AE Frei Heitor Pinto, Covilhã),Aníbal Pires (Deputado do PCP/Açores), António Borges Coelho (Historiador),António Capelo (Ator, Diretor da Academia Contemporânea de Espetáculo e Diretor Artístico do Teatro do Bolhão), António Teodoro (Professor Universitário, Investigador, ex Secretário Geral da FENPROF), Augusto Flor (Antropólogo, Presidente da Confederação Portuguesa das Coletividades), Augusto Nogueira (Diretor da Escola Secundária D. Dinis, Coimbra), Baptista Bastos (Jornalista e Escritor), Bernardino Soares (Presidente da CM de Loures), Carlos Carvalho (Diretor do AE Vale de Ovil, Baião), Carlos Pinto Sá (Presidente da CM de Évora), Daniel Oliveira (Jornalista), Daniela Aguiar (Movimento associativo de pais da RA da Madeira), David Rodrigues (Investigador, Presidente da Associação Pró-Inclusão), Élvio Sousa (deputado do JPP/Madeira), Fátima Custódio (ex-Presidente da Feder. Regional de Pais do Algarve), Fausto Bordalo Dias (Cantor e compositor), Fernando Sampaio (Diretor da Escola Sec. de Amarante), Filinto Lima (Diretor do AE Dr. Costa Matos, Presidente da ANDAEP), Filipe Martiniano Sousa (Presidente da CM de Santa Cruz, RA Madeira), Graça Gerardo (Presidente da ACAPO),Helena Roseta (Presidente da Assembleia Municipal de Lisboa), Heloísa Apolónia (Deputada do PEV), Isabel Gregório (Presidente da CNIPE), Isabel Veiga Simão (Diretora do AE Coimbra Oeste), Joana Dourado (Engenheira, Investigadora e membro do grupo “Segue-me à Capela”), Joana Mortágua (Deputada do BE),João Fernando (Compositor), João Freire (Sindicato Nacional dos Psicólogos), João Jaime Pires (Diretor da Escola Sec. de Camões, Lisboa), João Loio (Professor e Músico), Joaquim Jorge (Professor, Clube dos Pensadores), José António Gomes (Escritor e Docente na Esc. Superior de Educação do Porto), José António Pinto (Assistente Social), José Calçada (Presidente do Sindicato dos Inspetores de Educação e Ensino), José Correia (Presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local), José Luís Borges Coelho (Maestro e professor), José Manuel Mendes (Escritor, Presidente da Assoc. Portuguesa de Escritores), José Morgado (docente do ISPA – Instituto Universitário), José Morgado Ribeiro (Presidente da CIM Dão/Lafões), José Reis (Presidente da Confederação Nacional dos Organismos de Deficientes), José Teixeira (Diretor do AE de Marco de Canaveses n.º 1), Kabeca (Manager de Xutos e Pontapés), Kálu (Músico de Xutos e Pontapés), Licínio Lima (Docente e Investigador da Universidade do Minho), Luís Cília (Compositor e cantor), Luís da Conceição (Docente da Fac. de Arquitetura da Universidade de Lisboa), Luís Fagundes Duarte (Docente, ex-Presidente da Comissão Parlamentar de Educação e ex-Secretário Regional de Educação e Cultura da RA dos Açores), Luís Vicente (Ator e encenador da “ACTA”), Manuel Alegre (Poeta), Manuel Carlos Silva (Sociólogo e professor universitário), Manuel Loff (Historiador e professor universitário), Manuel Oliveira (Diretor do AE do Cerco, Porto), Manuel Pereira (Diretor do AE de Cinfães e Presidente da ANDE), Manuel Pires da Rocha (Diretor do Conservatório de Música de Coimbra e membro do Grupo Brigada Vítor Jara), Marco Nunes (Músico de Pedro Abrunhosa e Comité Caviar), Maria Antónia Mendes ʻMitóʼ (de A Naifa), Maria Calado (Professora e membro do CNE), Maria Cândida Brito (Diretora do AE Gardunha e Xisto, Fundão), Maria do Amparo (Cantora), Maria Emília Brederode dos Santos (membro do CNE), Maria João Pereira (Diretora do AE de Proença-A-Nova), Mário Nogueira (Secretário-Geral da FENPROF e membro do CNE), Miguel Tiago (Deputado do PCP), Norberto Pires (Docente da Universidade de Coimbra e Vereador na CM de Condeixa), Palmira Martins (Escritora de Literatura para a Infância), Paulo Cafôfo (Presidente da CM do Funchal e da Associação de Municípios da RA da Madeira), Paulo Costa (Diretor do AE Rainha Santa Isabel, Coimbra), Paulo Estevão (Deputado do PPM/Açores), Paulo Sucena (Membro do CNE e ex-Secretário-Geral da FENPROF), Porfírio Silva (Deputado do PS), Pedro Abrunhosa (Músico e compositor), Raquel Varela (Investigadora e historiadora), Renata Correia Botelho (Deputada do PS/Açores), Ricardo Franco (Presidente da CM de Machico, RA Madeira), Ricardo Paes Mamede (Economista e professor universitário), Ricardo Rodrigues (Presidente da CM de Vila Franca do Campo, RA Açores), Roberto Almada (Deputado do BE/Madeira), Rodrigo Francisco (Diretor da Companhia de Teatro de Almada), Rodrigo Teixeira (Presidente da Associação Académica da Universidade do Algarve), Rui Matos (Diretor da ESECS/IPLeiria e Presidente da MAG da ARIPESE), Rui Namorado Rosa (Professor na Universidade de Évora), Santana Castilho (Docente e Investigador), Samuel (Compositor, Cantor), Sérgio Godinho (Cantor, Músico e Escritor), Sílvia Vasconcelos (Deputada do PCP/Madeira), Sofia Canha (Deputada do PS/Madeira), Sónia Sky (Cantora e compositora), Soreto de Barros (Juiz Conselheiro do Supremo Tribunal de Justiça), Valdemar Parreira (Presidente da Comissão Coordenadora da Federação das Associações de Pais do Concelho de Sintra), Valter Hugo Mãe, escritor, Vítor Pereira (Presidente da CM da Covilhã), Zuraida Soares (Deputada do BE/Açores).

1 comentário:

  1. Fogo, estava a ver que não! Impunha-se! Tardava!

    ResponderEliminar