07 abril 2017

OS EUA têm experiência na matéria

Porque será que
me lembrei disto ?




Em Agosto de 1964, o destróier norte-americano USS Maddox, numa missão de espionagem ao largo da costa do Vietnã do Norte, disparou e danificou diversos barcos torpedeiros que se aproximavam dele no Golfo de Tonkin. Um segundo ataque de lanchas torpedeiras foi noticiado dois dias depois envolvendo o USS Turner Joy e o Maddox na mesma área. As circunstâncias destes ataques são obscuras. O segundo ataque levou a uma retaliação aérea dos americanos, apressou o Congresso a aprovar a Resolução do Golfo de Tonkin e deu ao presidente poderes para conduzir operações militares no Sudeste Asiático sem uma declaração de guerra formal.
Em 2005, entretanto, documentos secretos liberados pela Agência Nacional de Segurança, revelaram que não houve nenhum ataque a barcos americanos no dia 4 de agosto de 1964, mas, muito antes disso, este fato já vinha sendo contestado. ‘O Incidente do Golfo de Tonkin’, escreveu Louise Gerdes, ‘é um exemplo sempre citado de como Lyndon Johnson enganou o povo americano para conseguir apoio para a sua política no Vietnã’. George C. Herrings afirma, ‘que o Pentágono e McNamara não reconhecidamente mentiram sobre os alegados ataques, mas eles estavam obviamente com um espírito beligerante com relação aos vietnamitas e provavelmente selecionaram as evidências e relatos chegados a eles, aquilo que lhes interessava acreditar e difundir à opinião pública’.» (WIKIPÉDIA)
Guerra hispano-americana
 « Às 21:40 de 15 de fevereiro de 1898, o Maine afundou no porto de Havana, depois de sofrer uma enorme explosão. Enquanto McKinley pregou paciência, a notícia da explosão e pela morte de 266 marinheiros, a opinião pública americana exigiu uma resposta rápida beligerante. McKinley pediu ao congresso para reservar US$50 milhões para a defesa, que foi aprovado por unanimidade. A maioria dos líderes da América tomaram a posição de que a causa da explosão era desconhecida, mas a atenção do público era agora cravada sobre a situação da Espanha não conseguir encontrar uma solução diplomática para evitar a guerra. Ele apelou para as potências europeias, os quais aconselharam a Espanha a recuar e evitar a guerra.
A investigação da Marinha dos Estados Unidos, divulgada em 28 de março, concluiu que os paióis do navio foram acesas quando uma explosão externa foi detonada sob o casco do navio. Este relatório derramou combustível sobre a indignação popular nos Estados Unidos, tornando a guerra inevitável.Offner 2004, p. 57. [nota 8] A investigação da Espanha chegou à conclusão oposta: a explosão foi originada dentro do navio. Outras investigações em anos mais tarde chegaram a várias conclusões contraditórias. Em 1974, o almirante Hyman George Rickover analisou pessoalmente os documentos e entendeu que houve uma explosão interna. Um estudo encomendado pela revista National Geographic em 1999, usando AME modelagem computacional, afirmou que a explosão pode ter sido causada por uma mina, mas não há evidência definitiva que comprove. (Wikipédia).

 Colin Powell na ONU

1 comentário:

  1. E porque será que os média não teem memória?

    ResponderEliminar