27 janeiro 2017

Libertação de Auschwitz

Augusto dos Santos Silva
ou não havia necessidade !



Um  artigo de opinião, intitulado «Recordar o Holocausto», hoje publicado por Augusto Santos Silva no DN começa praticamente assim :

«(...) Passam 72 anos sobre a libertação do campo de concentração de Auschwitz-Birkenau. Quando, em 27 de Janeiro de 1945, as tropas aliadas entraram nesse campo, trazendo plenamente à luz do dia o horror do extermínio nele praticado, cessaram todas as desculpas».

Lido isto, sobra a pergunta sobre o que terá impedido Augusto Santos Sil
va de referir a verdade que toda a gente conhece: ou seja, que a libertação de Auschwitz não foi feita pelas «tropas aliadas» mas sim pelo Exército Vermelho.

Ou será que, se algum dia escrever sobre esses assuntos, Augusto Santos Silva também vai dizer que as batalhas de Stalinegrado e Kursk e a tomada de Berlim foram ganhas pelas «tropas aliadas» ?


13 comentários:

  1. Eu que voto habitualmente no partido de Vítor dias dias não sei de cor quem é que libertou Auschwitz. Por mim, a URSS fazia parte das forças aliadas contra a Alemanha Nazi. Possivelmente, Augusto Santos Silva escreveu de cor e foi pelo mesmo caminho.

    ResponderEliminar
  2. E é este personagem, ministro dos estrangeiros, de Portugal. Não admira muito que não conheça a história, porque dedica o seu tempo às feiras de gado !

    ResponderEliminar
  3. É que determinadas pessoas falar em Exército Vermelho, faz-lhes brotoejas.

    Anabelina

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eu vou mais nessa da brotoeja. Ou, se se quiser,do "custa a engolir"

      Eliminar
  4. eu sou formado em História (e bem) e não tenho presente quem libertou cada campo de libertação. Isso é do domínio de uma factologia, quase mesquinha, não no sentido de irrelevante, mas no sentido de pulverizada em milhões de eventos significativos~. Não se pode ir a todas e se é compreensível que um grupo que se revê bastante de modo significativo na justa luta contra o nazismo levada a cabo pela União Soviética, não será expectável que todos os moradores do mundo lhe prestem a mesma atenção detalhada.

    Não vejo que ASS, de quem não gosto, tenha cometido o lapso de modo propositado ou que lhe prova a ignorância o desconhecimento de um dos milhões de factos da II Guerra Mundial, um evento recente de entre milhões e milhões de factos da História do Mundo. Um MNE não tem de saber todos os detalhes da História contemporânea. E conceptualmente pode considerar o Exército Vermelho como força aliada, que era.

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  6. E por causa destas "imprecisões" que não se sabem nunca factos essenciais da história .

    ResponderEliminar
  7. Não se trata de saber quem libertou cada campo de concentração. Trata-se de saber alguma coisa de geografia da II Guerra Mundial na Europa. Auschwitz fica na Polónia e quem souber que foram as tropas soviéticas que tomaram Berlim e que o seu encontro com as tropas norte-americanas se dá muitas centenas de quilómetros para Ocidente, para se calcular que tudo o que foi libertado para Leste foi obra das tropas soviéticas. É claro que eu sei quem eram os Aliados mas lá por isso nunca irei dizer que as tropas soviéticas também desembarcaram na Normandia.

    ResponderEliminar
  8. As tropas aliadas aparecem no fim de a URSS se libertar e libertar os países a leste, com medo que a URSS não parasse a libertação na Alemanha e caminhasse mais para ocidente, e a história mostrou o queriam os outros chamados aliados e o que queria a URSS. A chamada guerra fria e os ataques constantes ao bloco socialista, mostra de lado que cada um estava e está.

    ResponderEliminar
  9. Em Portugal, nas manifestações do fim da guerra, festejava-se a vitória dos Aliados com as respectivas bandeiras, mas a bandeira da URSS era substituída pela bandeira do Benfica: vivia-se em ditadura fascista!

    ResponderEliminar
  10. Tudo isso é verdade, mas cai no domínio das associações de ideias e da consciência. Auschwitz fica na Polónia, mas anda associado ao nazismo, tido como alemão. A Normandia está mais que associada à França, numa associação de séculos. Terá ido a eito no fluxo da escrita. Possivelmente será mais intencional a ampla expressão "opositores políticos" usada em "denunciaram o tratamento, em termos de barbárie equivalente, dado aos opositores políticos"

    ResponderEliminar
  11. Sempre considerei a URSS como aliado na luta contra Hitler e os seus amigos. Afinal estava enganado os soviéticos combateram isolados sem quaisquer apoios a Alemanha nazi. Não há volta a dar os comunistas não mudam.

    ResponderEliminar