14 junho 2018

As coisas não são assim

Uma cordial rectificação
a benefício da cultura geral


Possivelmente por falta de assunto melhor, a jornalista do Público Sónia Sapage desarrrincou hoje uma tema interessante e surpreendente, como se vê pelo título do seu artigo de opinião.

Com efeito, o que nos veio dizer ou insinuar é que, com as novas regras de recenseamento eleitoral dos emigrantes, estes votantes podem passar «aproximadamente de 300 mil para uns exactos 1.373.439». E vai daí, a pensar na caterfa de deputados que estes eleitores poderiam eleger, remata o artigo perguntando «É só a mim que me parece que emigrantes podem ser a nova geringonça ?».
A resposta só pode ser que sim, só a ela. Pela simples razão de que, no sistema eleitoral português e em legislativas, os emigrantes, sejam, eles 300 mil ou um milhão e tal elegem sempre os mesmos quatro deputados.

1 comentário:

  1. O seu último parágrafo tem imigrantes e não emigrantes.

    ResponderEliminar