06 novembro 2016

Um imperdível dejecto dominical

Anos 50 - e o funcionário
do PCP disse ao casal Correia
Guedes: « Nada de casaco novo
para o Vasquinho, virem o antigo !»


Num texto abjecto publicado no Observador a propósito do centenário do nascimento de Mário Dionísio, referindo-se a reuniões que se faziam em casa de seus pais («devotos da seita», diz ele), escreve Vasco Pulido Valente :

Ora eu já tinha adiantado a hipótese de o anticomunismo visceral de VPV ter a origem traumática de umas boas palmadas no rabo que Octávio Pato contava lhe ter dado uma vez após, em visita aos Correia Guedes, o menino Vasco lhe ter afinfado umas caneladas.

Parece que agora tenho de acrescentar a terrível imposição comunista das calças curtas e dos casacos virados. 

5 comentários:

  1. Os Maias e não Os Maias.

    Os CorreiaS Guedes e não os Correia Guedes, que isso é francês.

    Em português, espanhol e inglês os nomes próprios têm plural.

    ResponderEliminar
  2. tão visceral, tão visceral que não percebe que está a tratar os próprios pais como atrasados mentais.

    ResponderEliminar
  3. Esta personagem é abjecta. Agora percebo, o que deve ser evidente para qualquer psicanalista, o seu anticomunismo. E a criatura até tem vergonha de utilizar o nome dos seus pais.

    ResponderEliminar
  4. Obviamente Os MaiaS e não Os Maia.

    ResponderEliminar