30 janeiro 2012

Faz hoje 90 anos

Nuno Teotónio Pereira:
uma vida cheia e exemplar


É com grande apreço, respeito e longa estima que aqui assinalo a passagem do 90º aniversário do arq. Nuno Teotónio Pereira (cujo intenso e corajoso percurso de vida pode ser revisitado neste post de Joana Lopes). E, para que este post não se confunda com outra coisa, só quero lembrar que, há um ano, na homenagem que lhe foi feita, o que mais me impressionou foi que, com todas as voltas que o país e o mundo deu, então aos 89 anos, Nuno Teotónio Pereira, na sua breve alocução, se mostrou fiel e vinculado à luminosa esperança expressa nas suas palavras, à saída da prisão de Caxias na primeira hora do dia 27 de Abril de 1974. Parabéns para si, Nuno Teotónio Pereira, deste seu amigo, distante e discreto mas muito antigo e constante.

29 janeiro 2012

Fim de dia com o bolero «Três Palabras»

O David Murray Cuban Ensemble
com a voz de Omara Portuondo



Ai, como estou dividido !

Confissão de domingo



Confesso que esta notícia dominical sobre um suposto ou alegado mal-estar entre Cavaco e o seu círculo e o governo, designadamente o ministro das Finanças, me deixam dolorosamente dividido.
Por um lado, os genes de muitas décadas de política activa levam-me tacticamente  a agradecer,  apreciar ou desejar tudo mas tudo o que, nesta conjuntura dramática - é o termo - possa criar dificuldades ou enfraquecer o actual governo.
Por outro lado, o dever do rigor e os imperativos de memória levam-me a perguntar a Cavaco e ao seu círculo se, quando apoiaram e abençoaram o memorandum da troika, não sabiam o que isso significava e o que, numa lógica de ferro, aí vinha e as devastadoras consequências sociais e económicas que traria. E também me apeteceria propor-lhes (e a muitos outros) que, por favor, rebobinem o filme da última campanha eleitoral das legislativas para finalmente perceberem que parte do que dizem hoje foi dito por outros que então ridicularizavam como radicais e irresponsáveis.
Tudo visto, a minha grande confissão de domingo é que estou para esta alegada «clivagem» entre cavaquistas e governo tal e qual como o círculo cavaquista parece estar; ou seja, também eu quero sol na eira (a «zanga» entre eles) e chuva no nabal (dizer as verdades sepultadas pelo tempo e pela falta de vergonha na cara).

E, para o seu domingo, a jovem brasileira

Thais Gulin



Água

Pobreza e prisões nos EUA

Nenhuma palavra minha,
são americanos que testemunham







 a ver aqui em http://americanpoverty.org/


a ler aqui em The New Yorker

28 janeiro 2012

Alguns falam falam mas é ...


Uma grande luta que continua


O novo Conselho Nacional da CGTP foi nesta sexta-feira eleito no XII Congresso da central sindical com 735 votos a favor, oito brancos e 32 nulos. Arménio Carlos foi eleito na madrugada deste sábado o novo secretário-geral da CGTP para o próximo quadriénio com 113 votos a favor e 28 brancos (portanto, sem votos contra). 48 mulheres, o maior número de sempre, participam no Conselho Nacional.

Congresso online aqui

Porue hoje é sábado (320)

The Civil Wars




A sugestão musical de hoje destaca,
 entre os grupos e bandas emergentes
na música norte-americana,
o duo The Civil Wars.




The Birds of a Feather
 

Disarm

Estão a perceber, não é ?


Então não é preciso fazer o boneco 



25 janeiro 2012

Os filmes em " cartaz" ( )

Until The End of The World

Cartaz de Until The End of The World,
 filme realizado em 1991 por
Wim Wenders, com Solveig Dommartin,
 William Hurt, Sam Neill, Max von Sydow
 e Jeanne Moreau
nos principais papéis.



Days
- tema de Elvis Costello neste filme

 

Contra uma ideia feita

No reino não dos céus
mas da superficialidade e ligeireza



Com absoluta tranquilidade e alguma generosidade aqui deixo as declarações que o DN transcreve de uma entrevista do arcebispo de Braga à Rádio Renascença.
Como nada me move em especial contra D. Jaime Ortiga, fique então claro que escolher este exemplo é apenas a forma que encontro de denunciar uma ideia corrente, e largamente usada pelos apoiantes do acordo governo-patronato-UGT, de que a CGTP está sempre contra, não apresenta propostas, não dialoga, nunca assina e abandona reuniões.
Ora o que acontece é que os que assim falam, seja por consabida má-fé seja por desinformação, sempre se esquecem de várias coisas, a saber: que, em matéria de propostas, a CGTP tem um riquíssimo património de propostas que deveria levar alguns a interrogarem-se sim porque razão governos e patronato estão sempre contra elas; que, apesar de ocultarem qual era a terrível e inaceitável base de partida das recentes negociações em sede de concertação social, a verdade é que a CGTP, num quadro de patentes discriminações negociais, não deixou de intervir e de participar em defesa dos seus pontos de vista; e, finalmente, que o seu abandono final da última reunião foi uma forma  legítima de um gesto forte que marcasse o seu protesto e desacordo, cabendo a D. Jorge Ortiga e outros explicarem em que é que a presença da CGTP durante mais meia hora ou uma hora na reunião modificava positivamente em alguma coisa uma das maiores declarações de guerra aos trabalhadores de que há memória desde o 25 de Abril.

Uma boa notícia para...

Santana Lopes (violinos de Chopin)
e Cavaco Silva (Thomas Mann-Thomas Morus)



Hoje no Libération

23 janeiro 2012

E agora a cantora canadiana

Todo este novo álbum
pode ser ouvido aqui

Faltam só 18 dias


Por uma vasta energia mobilizadora
que transforme  o Terreiro do Paço no
Terreiro do povo e da sua razão




outros pontos de concentração

Martim Moniz
Santa Apolónia
Cais do Sodré

que cada um perceba e  sinta 
qual é o desafio que esta manifestação
coloca e não poupe nada para o vencer. 

Ainda veremos Seguro a falar assim

Eleições: a quanto obrigam



Primeira página do
Libération de hoje

O mundo habituou-se ?


Talvez, mas são 10 anos de infâmia



A ler aqui na Vanity Fair
Ali Sher Hamidullah (Uzbek), I.S.N. 455.
Detained in 2002; released in 2010.
Photographed in Geneva, 2011

Slideshow sobre outros detidos
 e libertados sem julgamento aqui

22 janeiro 2012

Terminando o dia com

Carlos Santana
ao vivo no Montreux/2011



Watch Santana - Live at Montreux 2011 on PBS. See more from pbs.

Faça o gosto ao dedo ou...

...interactividade de domingo


Se não comprou o Público, aproveite este magnifico desenho de João Fazenda hoje estampado na primeira página do jornal (aqui com uma pequena minha alteração) e escolha o seu próprio cognome para Cavaco Silva. Basta usar um marcador lavável aí no ecrã do seu computador. Não se esqueça que Maria de Belém lhe chamou de «o Professor»,  Manuela Ferreira Leite de  «o Estadista», Lídia Jorge de «o Crente», Jaime Nogueira Pinto de «o Prudente» e Octávio Teixeira de «o Incoerente»

E, para o seu domingo, descobrindo o espanhol

Carles Dénia



do seu último álbum 
El Paradís de les Paraules

baseado em poetas árabes valencianos
e considerado pela revista
Sons,
 o melhor disco folk em língua catalã


Seguiu-me Al Desert, Amics
 
 Si de vora meu un dia

20 janeiro 2012

A última cavacada

Bem lida, a notícia
dispensa comentários


[esta foto - do tempo da Grande Depressão nos EUA - ilustra o que parece ser o pesadelo nocturno mais recorrente de Cavaco Silva nos tempos que correm]

No
Público online: Neste momento já sei quanto é que irei receber da Caixa Geral de Aposentações. Descontei quase 40 anos uma parte do meu salários para a CGA como professor universitário e também descontei durante alguns 30 anos como investigador da Fundação Calouste Gulbenkian e devo receber 1300 por mês, não sei se ouviu bem 1300 euros por mês”, disse Cavaco, olhando o jornalista. “Tudo somado, o que irei receber do Fundo de Pensões do Banco de Portugal e da Caixa Geral de Aposentações quase de certeza que não vai chegar para pagar as minhas despesas porque como sabe eu também não recebo vencimento como Presidente da República”, disse Cavaco.
Porém, o Presidente da República não esclareceu o valor da pensão relativa ao Banco de Portugal (BdeP).
Mas uma fonte não oficial do Banco de Portugal assegurou ao PÚBLICO que Cavaco Silva nunca deixou de descontar para o fundo de pensões do BdeP. Está acima do nível 18, o que equivale a uma pensão entre os 4.000 e os 6.000 euros por mês.

Refira-se que a pensão máxima do Banco de Portugal ronda os 8.000 mil euros.

Há precisamente um ano, o chefe de Estado decidiu prescindir do seu vencimentos como Presidente da República, no valor de 6.523 euros, e hoje, em declarações aos jornalistas, no final de uma visita ao gabinete do munícipe da Câmara do Porto, Cavaco fez questão de referir que não recebia qualquer vencimento pelas suas funções.»



Apenas um P.S. com três  notas: a primeira é que não dá para acreditar que quem, para além do mais, foi primeiro-ministro durante 10 anos e se reformou ainda pelo sistema antigo receba da C.G. de Aposentações uma reforma de 1.300 Euros; a segunda, é que, como se sabe, Cavaco Silva pertence ao grupo de portugueses que consegue ter duas reformas (há quem tenha 3), coisa a que 99,8% dos reformados portugueses nunca conseguiram aceder e que a mim me dava também muito jeito; a terceira é que fui dos raros bloggers que teve a coragem de se demarcar e criticar a lei que impôs que o Presidente da República Aníbal Cavaco Silva tivesse de exercer as suas funções pro bono.

Mais uma saborosa crónica em «El País»


Desgobierno
por Juan José Millás


«En efecto, del Costa Concordia se decía lo mismo que de nuestra banca: primero, que era imposible que un buque de esas características se hundiera; segundo, que, de hundirse, era imposible, dados sus modernos sistemas de salvamento, que hubiera víctimas; tercero, que, de haber víctimas, la primera sería el capitán. Pero resulta que se hundió, que hubo víctimas y que el capitán salió por piernas abandonando a los pasajeros a su suerte.
Nos dijeron que era imposible que nuestra banca tuviera problemas; que, de tenerlos, era imposible que hubiera víctimas; que, de haberlas, las primeras serían sus directivos. Pero nuestra banca tuvo problemas, hubo víctimas y los directivos fueron los primeros en abandonar la nave con indemnizaciones millonarias. La diferencia entre un asunto y otro es que el capitán del Costa Concordia está preso mientras que los capitostes de los bancos encallados o hundidos se encuentran en paradero desconocido, disfrutando del dinero que se llevaron al tiempo de gritar sálvese quien pueda.
Dinero de nuestras comisiones, claro, pero no solo de ellas. Durante los llamados años de bonanza vendieron productos bancarios incomprensibles a personas que confiaron en el director de la sucursal de su barrio y que ahora han perdido todos sus ahorros; concedieron a sus clientes más vulnerables créditos que no podrían devolver a sabiendas de que no los podrían devolver, prevaricando hasta el paroxismo, signifique lo que signifique paroxismo; sobrevaloraron los inmuebles por los que se otorgaban las hipotecas, infravalorándolos luego a la hora de ejecutarlas. Realizaron, como el capitán del Costa Concordia, todas las maniobras desaconsejadas por los manuales de navegación y fueron los primeros en ocupar los botes salvavidas. Fiscales, jueces, defensores del pueblo, ¡suban a bordo y hagan algo, coño!»

Admiráveis progressos !

Não, não é o Occupy
Wall Street
 a chegar a Portugal

Hoje, no Público pode ler-se: «O fecho das urgências do hospital Curry Cabral no final de Dezembro, inserida na reorganização da rede hospitalar em Lisboa, está a criar muitos problemas no Hospital de Santa Maria. Uma fonte próxima da principal unidade do Centro Hospitalar de Lisboa Norte (CHLN) disse mesmo ao PÚBLICO que “o Hospital de Santa Maria virou um autêntico hospital de campanha” nos serviços de internamento, “porque é o cenário que mais se assemelha à realidade vivida nestes serviços nos últimos tempos”, principalmente durante o fim-de-semana e às segundas-feiras. “Nos últimos anos, a taxa de internamento dos referidos serviços já tem vindo a ser superior a 100%, ou seja, para além das camas atribuídas para o internamento, também são internados utentes numa maca ao longo do corredor do serviço. No entanto, desde há uns tempos para cá que existe uma elevada adesão de utentes ao hospital e por consequência, um elevado número de internamentos hospitalares”, revelou a mesma fonte, salientando que na passada segunda-feira “estavam completamente a abarrotar”. “Além dos 21 utentes que podem receber em camas no internamento, quase todos os serviços estavam com 10 utentes internados ao longo do corredor numa maca”, acrescentou. (...)

Feita a transcrição, que mais posso acrescentar ? Primeiro que, a avaliar pela notícia, muitos anos depois de o problema aí ter sido finalmente resolvido, parece termos regressado ao drama das urgências do Hospital de S. José, onde muitos como eu tiveram a indignada experiência de ver familiares seus em macas nos corredores e com um indizível sentimento de abandono nos olhos. Segundo, que por circunstâncias de localização, assisti dia a dia à construção da urgência do Curry Cabral e fui muitas vezes, por via directa ou indirecta, seu utente, sabendo bem do imenso movimento e utilidade que tinha. E, terceiro, como eu não me consigo lembrar exactamente do ano da sua construção, era bom que alguém explicasse para quantos anos de funcionamento acabou por servir aquele investimento.

Especialmente dedicado...

... ao autor deste post e a
muitos dos seus "comentadores"





Morreu hoje aos 73 anos

Etta James

A ver no N.Y.T.

Fotografando fotógrafos(as)



Slide-show aqui no New York Times

19 janeiro 2012

Foi há 30 anos que a perdemos


Elis Regina




Fascinação

e Nara Leão faria hoje 70 anos
 (foto de 1968)
Tema de «Os inconfidentes»

S. Francisco de Assis não diria mas....

... Francisco Assis disse


 «(...) a UGT prestou uma vez mais um grande serviço ao país em geral e aos trabalhadores em particular. Ao país, porque se afigura de grande importância, quer por motivos de ordem interna, quer por razões de imagem externa,  a aprovação de um acordo de concertação social. Aos trabalhadores na medida em que impediu a consagração  de soluções que atentavam contra direitos básicos (...)» - Francisco Assis, em artigo no Público de hoje.

 por mim, só quero lembrar que,
há dois meses, era (mas seria ?)
assim



e sobre a última pulhice de João Proença (em relação a «altos dirigentes» da CGTP), é espantoso mas não ouço na rádio um jornalista perguntar-lhe simplesmente isto:
«ó homem, mas se você não tem por hábito mentir, então diga lá os nomes dos da CGTP que lhe pediram o que você diz que pediram ?».

Sundance Film Festival 2012

Começou hoje e acaba a 29


e está tudo aqui

Começa hoje na Faculdade de Letras